Pular para o conteúdo principal

Ciro Gomes diz que Temer é 'capitão do golpe' e anuncia: 'Se ele assumir quem entra com impeachment sou eu'


O político Ciro Gomes foi o convidado do "Mariana Godoy Entrevista" desta sexta-feira (4). O político fez duras críticas ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e ao vice-presidente do Brasil Michel Temer, a quem classificou como "capitão do golpe" contra a presidente Dilma Rousseff.

Ciro disse que não pensa em lançar uma candidatura pelo estado de São Paulo. "Os paulistas têm bons representantes para isso", afirmou. "Minha vida partidária é uma tragédia", afirmou Ciro ao comentar suas filiações a sete partidos diferentes. "Se eu mudei de partido, eu nunca respondi a um inquérito sequer", defendeu-se.

"Ele jamais poderia ter sido eleito", disse Ciro Gomes sobre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Ciro contou que já havia denunciado Cunha antes, o chamando de "ladrão" na Câmara, e foi processado por isso e, posteriormente, absolvido. "E quero lembrar uma coisa: ele chamou como testemunha dele o Michel Temer", disse o ex-ministro.

O político disse que o povo tem "que fazer o esforço de separar o joio do tigro" quando falou a respeito da 'má fama' da política no cenário atual. "Democracia é um regime de conquista, de cidadania, você não pode ser leviano, tem que fazer um esforço na hora de votar", afirmou. 

Ciro disse que um impeachment pode "enfraquecer ou fortalecer um país" e citou o exemplo da saída do ex-presidente Fernando Collor como uma situação positiva que o impeachment trouxe. Entretanto, classificou o atual pedido como "um golpe puro e simples". O político classificou Eduardo Cunha como "ladrão" e categorizou a decisão de instalar o processo de impeachment como "política". "O governo errou pois 'bailou' com esse cidadão [Eduardo Cunha] que não deveria ter bailado", definiu.

O politico disse que acredita que Dilma Rousseff é uma pessoa "honrada" e afirmou que "impeachment não é remédio para um governo ruim". "Ele [Cunha] viu nessa possibilidade de derrubar a Dilma a chance de salvar o mandato dele". "Se não fosse a tragédia, eu diria 'bem feito'. Cansei de dizer pro Lula, pra Dilma, pros meus companheiros, que não é responsável colocar o PMDB na linha de sucessão". Ciro garantiu que Michel Temer seria "o capitão do golpe" e que Temer não será presidente: "Se ele assumir, no primeiro dia quem vai entrar com pedido de impeachment sou eu".

Ciros Gomes disse que Helio Bicudo e Miguel Reale, juristas que protocolaram o pedido de impeachment, não podem ser chamados de juristas: "Bicudo não está no seu melhor momento e Reale foi ex-ministro de Fernando Henrique".

Sobre a fala de Eduardo Cunha no "Mariana Godoy Entrevista" em maio, quando se disse contra o impeachment e que "o Brasil não é uma 'republiqueta'", Ciro disse: "Acredito que o Judiciário vai mandar este senhor para a cadeia. Temos que esperar. Só para provar que o Brasil não é uma 'republiqueta'".

Ciro gomes fez profecia se Dilma sair do poder: "Haverá 20 anos de recessão" e citou o exemplo da Venezuela, que depôs um presidente e se vê hoje em um momento péssimo político, econômico e social.

Perguntado sobre o que Dilma deve fazer para "dar a volta por cima", Ciro disse: "Manda ela tomar um conjunto de providências comprometidas com o futuro do país, que ela vai ver se não arruma um monte de empresários para ajudar". O político disse que a presidente está cercada de "inimigos" e com uma "equipe péssima". 

Ciro aproveitou para analisar a situação do ex-presidente Lula: "Não sei o que tá acontecendo com o Lula, ele não se poupa". "O Lula tá cometendo um gravíssimo erro que é essa tutela em cima da Dilma", analisou.

O político disse que a "maquiagem" das contas do governo não poderia ser classificado como um crime de responsabilidade fiscal, pois não existem procedentes para esse tipo de caso. 

"Ninguém tem ideia do que é desumano ser candidato a presidente do Brasil não sendo 'mainstream", disse o político, reafirmando que não tem intenções de se candidatar ao cargo novamente.

"E de repente eu virei o novo Collor, porque eu comecei a falar coisas. Porque você fala da economia do país (…) Mas hoje, o grande gasto 'fora da curva' é juro para bancos. Infelizmente eles dão as cartas no país".

Questionando novamente por Mariana se não pretende realmente voltar para a vida política, Ciro disse: "Eu não pretendo ser, mas acho que vou sim".

Da Redação
Via: Rede TV

As Mais Visitadas

Prefeitos baianos do PMDB, DEM e outras siglas fazem fila de quase uma hora para tirar selfies com Lula

Ontem (19) pela manhã, o petista participou de um evento com mais de 60 prefeitos de cidades do interior baiano. Na plateia havia políticos de partidos como PMDB e DEM, que apoiaram o Senado investigasse a ex-presidente Dilma Rousseff e integram a base do governo Michel Temer. Quem via de longe pensava que as filas próximas ao palco para tirar uma selfie com Lula era da comunidade local, mas eram compostas na realidade por gestores das mais variadas correntes.Apesar das críticas de Lula ao atual presidente Michel Temer, os prefeitos formaram uma fila de quase uma hora para tirar fotos com o petista. Um prefeito do PMDB que pediu para não ter o nome divulgado explicou tanta admiração. Segundo ele, Lula é muito admirado no Nordeste e pode ser um grande cabo eleitoral para 2018.Lula usou um palavrão para criticar a situação econômica do País. "Este País é grande demais. Este País não nasceu para ser a m. que é", disse o ex-presidente que logo em seguida tentou se desculpar. &qu…

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

Mari e Sapé na PB; universitários revelam situação do transporte municipal para as faculdades

Revista Páginas - Universitários da cidade de Mari e Sapé, ambos localizados na zona da mata da Paraíba, que necessitam utilizar os ônibus que as prefeituras dos municípios citados acima disponibilizam não estão nada satisfeitos. Por meio das redes sociais os estudantes denunciam a situação precária do serviço oferecido.Foto 1: Alunos da cidade de Mari.Segundo relatou a universitária Marcela Monteiro em seu perfil no Facebook, ela foi "obrigada" a fazer o trajeto de ida e volta para João Pessoa, dividindo a poltrona com outros dois colegas. Não há acentos disponível para a demanda. A universitária revelou que a secretária de educação foi procurada e não conseguiu uma solução para o problema. Foto 2: Alunos da cidade de Sapé.Na cidade de Sapé, cerca de 20 alunos são transportados em pé todas as noites, no ônibus que os levam para a IESP Faculdade. Conforme escreveu nas redes sociais Quelfn Antônio ao esplanar o problema. "Risco de quedas e de se machucarem, sem contar co…