Pular para o conteúdo principal

Prefeitura de Sapé/PB anuncia vencedores do 2º Concurso de Poesia Augusto dos Anjos

Os vencedores do 2º Concurso Municipal de Poesia “Augusto dos Anjos”, promovido pela Prefeitura Municipal de Sapé, por meio da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer foram anunciados nesta segunda-feira (18).
Estão sendo premiados os três melhores trabalhos, com prêmios em dinheiro no valor de R$ 500,00 para o primeiro lugar, e R$ 250,00 para o segundo e terceiro lugares.
A proposta do concurso é contribuir para a descoberta de novos poetas sapeenses, estimular a produção literária em âmbito local, dando também oportunidade para a divulgação dos seus trabalhos, igualmente da língua portuguesa.
As inscrições aconteceram entre 31 de março e 13 de abril de 2016, contemplando apenas a categoria de Poesia, cuja temática foi livre.

1º lugar
Nome: Antônio Trajano de Lira Júnior
Pseudônimo: Khalil Gibran
Poema: POEMOBIOGRAPHIAS
POEMOBIOGRAPHIAS
O meu poema pó
sem eira
nem beira
foi varrido
igual resto de lixo
pra debaixo do tapete
O meu poema
lírico
tão ridículo
foi lírio
que antes de ser lido
murchou
O meu poema
amador
fez um trocadilho pobre
de verbo
com substantivo
O meu poema
mais louvado
foi lavado
e
passado
jaz no guarda-roupa
O meu poema
de vanguarda
aguarda
a bondade crítica
dum anjo da guarda
O meu poema
noiado
bebeu fumou cheirou
foi interno e internado
mas nunca mais se reabilitou.

2º lugar
Nome: Yvana Kelly Farias de Oliveira
Pseudônimo: Sérgio Sampaio
Poema: DESEQUILÍBRIO
DESEQUILÍBRIO
equilíbrio
cinquenta e cinco mantras
música clássica
som das águas
cachoeira
correnteza
tristeza
chuá chuá
paz  paz
a paz invadiu o meu coração
tocou Gil na radiola
um vinil de raridades
equilíbrio
yoga cinema poesia prosa
cinquenta e cinco mantras
repetidos
mastigados cansados
os ensinamentos de Buda
ou de Cristo
conclama o babalorixá
sentar por horas no telhado
gato cachorro gato
roçando a minha perna
equilíbrio
equilibrista de circo
um palhaço
dois palhaços no sinal
três elefantes incomodam muita gente
incomodam incomodam incomodam
filme triste desfecho dramático
traumático
faço malabares com o silêncio
cinquenta e seis mantras repetidos
e mais tantas tentativas
frustradas
lexotan
rivotril
diazepan
equilíbrio
equilíbrio
equilíbrio
um tiro explode no espaço.

3º lugar
Nome: Allan de Oliveira Falcão da Silva
Pseudônimo: Maria Victória
Poema: O MENINO OCULTO
O MENINO OCULTO
Enterrado em uma canastra de ouro
Todos os seus júbilos, tantas vezes expostos a nu
pela corja-vã vestidos em suas belas casacas.
A muito de seu esmurrado sobrenome esquecido.
O menino oculto por detrás das flores, tem os olhos
Escondidos para não ver o mundo.
Tem na voz o grito que no céu espanta o sabiá.
Sua Musa; Dulcinéia Quixotesca.
Seu confessionário; Abóbada estrelada.
Profana empíreos em cada pensamento.
Traz entres as têmporas, os poros dos sonos
de mil anteriores pecaminosas vidas superpostas.
Perdido seu barco no meio do deserto,
Viaja pelos mares montado num cavalo alado,
Devaneando submariinos de aquários
E peixe de estátuas.
O menino oculto por detrás das flores
É seu próprio Deus de seu próprio universo.

Da Redação
Via: SECOM

As Mais Visitadas

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

De volta ao Brasil colonial (4)

(Fragmento do artigo de João Sicsú   disponível no site da CartaCapital)"Mais que o governo, o Estado se torna autoritário e violento. Todas as instituições que outrora deveriam constituir uma república democrática se voltam contra os trabalhadores. A Justiça, o governo, o Congresso, as polícias e os grandes meios de comunicação estarão todos a serviço da nova Coroa e contra os trabalhadores. Os cargos de comando nessas instituições são ocupados majoritariamente por integrantes de famílias tradicionais e conservadoras da elite local. E essa elite se desdobra para favorecer a nova Coroa e seus próprios interesses (de poder e patrimoniais).A elite colonizada se revela sem qualquer discrição: rouba, forma quadrilhas, paga e recebe propina, não atende necessidades básicas da população, saqueia o orçamento público e elimina direitos sociais. O Estado democrático, prestador de serviços e garantidor do bem-estar social desaparece. O Estado volta a ser autoritário, violento e perde a fu…

Mari e Sapé na PB; universitários revelam situação do transporte municipal para as faculdades

Revista Páginas - Universitários da cidade de Mari e Sapé, ambos localizados na zona da mata da Paraíba, que necessitam utilizar os ônibus que as prefeituras dos municípios citados acima disponibilizam não estão nada satisfeitos. Por meio das redes sociais os estudantes denunciam a situação precária do serviço oferecido.Foto 1: Alunos da cidade de Mari.Segundo relatou a universitária Marcela Monteiro em seu perfil no Facebook, ela foi "obrigada" a fazer o trajeto de ida e volta para João Pessoa, dividindo a poltrona com outros dois colegas. Não há acentos disponível para a demanda. A universitária revelou que a secretária de educação foi procurada e não conseguiu uma solução para o problema. Foto 2: Alunos da cidade de Sapé.Na cidade de Sapé, cerca de 20 alunos são transportados em pé todas as noites, no ônibus que os levam para a IESP Faculdade. Conforme escreveu nas redes sociais Quelfn Antônio ao esplanar o problema. "Risco de quedas e de se machucarem, sem contar co…