Pular para o conteúdo principal

Temer chama de 'oportunistas' quem debita herança petista na sua gestão

Em reação às críticas da presidente afastada Dilma Rousseff, o presidente interino, Michel Temer, chamou de "oportunistas" aqueles que querem debitar sobre seu governo resultados negativos da economia e disse que não vai "destruir aquilo que mais toca" os setores sociais.

Em cerimônia de posse de cinco presidentes de órgãos federais, o peemedebista disse que não é culpa da atual administração o número de 11 milhões de desempregados ou a alta da inflação. E fez questão de ressaltar que não haverá reduções com despesas em saúde e educação.

"Não falarei em herança de espécie nenhuma. Apenas revelo a verdade dos fatos para que oportunistas não venham debitar os erros dessa herança ao nosso governo", disse. "O país se encontra mergulhado em uma das grandes crises de sua história, uma conjugação de problemas causados de erros ao longo do tempo que comprometeram a governabilidade", completou.

Em seu rápido discurso, Temer reconheceu que as medidas econômicas não resolverão a situação do país "da noite para o dia" e que serão precisos "sacrifícios" para "encontrar o caminho para a geração de emprego e o crescimento do país".

"Eu quero registrar, para que não tenha exploração, que os percentuais referentes a saúde e educação não serão modificados", disse o peemedebista, em referência a projeto da fixação de teto para gastos públicos que será enviado ao Congresso Nacional.

O presidente interino ironizou também o discurso de aliados de Dilma de que o impeachment tinha o objetivo de frear a Operação Lava Jato.

"Quero revelar pela enésima vez que ninguém vai interferir na chamada Lava Jato. Não haverá a menor possibilidade de qualquer interferência do Executivo", disse.

A declaração ocorre após a queda de dois ministros que, em gravações feitas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, fizeram críticas às investigações da Polícia Federal.

O ex-ministro Romero Jucá (Planejamento) chegou até mesmo a sugerir um pacto para "estancar a sangria" da Lava Jato.

EMPOSSADOS

Na cerimônia no Palácio do Planalto, tomaram posse Maria Silvia (BNDES), Pedro Parente (Petrobras), Gilberto Occhi (Caixa), Paulo Caffarelli (Banco do Brasil) e Ernesto Lozardo (Ipea). Em cima do palco montado no segundo andar do Palácio do Planalto, todos estavam com algum adereço azul, cor do slogan do governo interino.

Temer disse que os novos presidentes têm o perfil que ele pretende imprimir ao país, de "competência e eficiência". O peemedebista ressaltou que não quer um Estado "máximo" ou "mínimo", mas "suficiente" e "eficiente", que ajude a retomar o crescimento.

"Reforça-se a ideia de uma equipe econômica que tem os olhos voltados ao Brasil. Não existe espaço no país para um estado inchado e ineficiente. O estado que a sociedade quer é que ofereça espaço para o progresso e incentive o empreendedor", disse.

Em busca de uma agenda positiva, a equipe de Temer convidou para o que chamou de "superposse" ministros de todas as áreas, além de parlamentares e empresários. A ideia era desviar o foco das críticas e desgastes que o governo interino tem sofrido nos primeiros 19 dias.

Da Redação
Via: Folha de S.Paulo

As Mais Visitadas

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

Ex-atriz da globo deixa vergonha de lado e fica completamente nua ao trocar biquíni em praia

Segundo fotógrafo que fez os cliques, Clariane Caxito estava posando para um catálogo de moda praia, por isso a desinibida troca de roupaClariane Caxito, atriz que participou do "Zorra Total" antes do programa ser reformulado, foi flagrada em poses bem indiscretas neste domingo, 22. Ela foi vista na praia do Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, enquanto trocava de biquíni.Isso mesmo que você leu. Sem a menor cerimônia, a morena ficou com os seios à mostra no momento de mudar o sutiã e depois também trocou a calcinha, deixando absolutamente tudo de fora!Segundo o fotógrafo que fez os cliques, Clariane estava acompanhada por uma equipe de profissionais, enquanto posava para um catálogo de moda praia, por isso a troca de biquíni. Nas imagens, no entanto, nenhum sinal de outra pessoa, a não ser a "peladona da praia".Após a troca de biquíni, a morena foi se refrescar no mar e, antes de entrar na água, deu uma empinada estratégica no bumbum. EGO

Relicário, livro da mariense Aninha Ferreira, ganha o mundo através do Instagram da cantora Marília Mendonça

Revista Páginas - Trecho do livro Relicário da autora Claudianne da Silva Ferreira (Aninha Ferreira), natural da cidade de Mari, na Paraíba, ganha o mundo através do Instagram. A cantora sertaneja Marília Mendonça publicou no início desta noite (20) em seu Instagram o trecho "Saudades" do livro da autora paraibana. Marília Mendonça dedicou o post aos seus amigos e fãs. "Pra todos os amigos que a estrada e a distância foram levando para longe mim... "Em quase 2hs a postagem da artista já ultrapassou 14 mil curtidas e mais de 500 comentários elogiando Relicário. Relicário foi lançado em abril deste ano de 2017. Aninha Ferreira é graduada em Letras - Língua Portuguesa - pela UEPB.