Pular para o conteúdo principal

Doria 'constrói verdades' nas redes sociais

João Doria Jr. (PSDB) completa nesta terça-feira (31) um mês à frente da prefeitura de São Paulo. Desde que assumiu, o tucano se esforçou para mostrar que está "colocando a mão na massa" e usou intensamente as redes sociais para divulgar suas ações pela cidade.

Doria já vestiu roupa de gari, de funcionário da conservação urbana, pedreiro, agente de trânsito, de jardineiro e até andou de cadeira de rodas. As fantasias do prefeito geraram críticas de populismo, inclusive do apresentador José Luiz Datena, da Band, que comparou as ações às do ex-presidente Jânio Quadros e seu "varre, varre, vassourinha".

O político se defendeu na ocasião dizendo que não eram ações midiáticas. "O prefeito não vai [aos eventos] para posar para fotografia; eu vou trabalhar, às 7h, igualzinho o trabalhador que ganha R$ 1,2 mil [de salário]. E o trabalhador se sente prestigiado, valorizado", justificou.

O tucano quer mostrar que suas ações já estão mudando profundamente a cidade, mas no momento o que é possível de ser feito, como explicou o especialista em marketing político Victor Trujillo, professor da ESPM, é mais comunicar do que alterar realmente a vida do paulistano.

"Como início, o que está ao alcance da gestão atual em seus primeiros dias é se comunicar com os eleitores. Todas as decisões, tirando as de pequena monta e parciais – talvez a mais emblemática tenha sido a alteração da velocidade das marginais – levam tempo até para serem implementadas e mais tempo ainda para serem percebida pelos eleitores", disse Trujillo.

Crescimento nas redes sociais

Doria registrou um crescimento rápido nas redes sociais. Seu perfil no Facebook, por exemplo, tem mais de 1,3 milhão de seguidores. Em comparação, o do ex-prefeito Fernando Haddad (PT) vai pouco além dos 300 mil.

Em entrevista, o tucano afirmou que suas redes sociais são alimentadas "com trabalho" e "não com informação fictícia e nem falsa". "Quando você faz, quando você realiza, você constrói verdades – pode até cometer um erro aqui e acolá, faz parte do jogo", disse.

Para Victor Trujillo, porém, a postura de Doria não poderia ser diferente. "O prefeito não está em toda parte, mas o eleitor está. Ele não pode chegar e fazer qualquer anúncio que não seja fiel à verdade. Não é mérito dele, é inerente às redes sociais. Em qualquer lugar tem um eleitor, pronto, vigiando com seu smartphone para fotografar e desmenti-lo", analisou.

Sem julgar a administração do prefeito até o momento, o especialista em marketing disse que a tática de usar as redes sociais intensivamente é acertada do ponto de vista da comunicação, porque cria uma intimidade com a parcela dos eleitores que o seguem na internet.

"Essa tática é vitoriosa na medida que o eleitor se sente próximo ao prefeito", explicou Trujillo. "Como as mídias sociais são um meio de mão dupla, onde você consegue se comunicar, mesmo sabendo que talvez seja um assessor a responder. Cria-se uma relação de intimidade, de modo que eu, eleitor, estou conectado ao prefeito e tenho acesso a ele."

Comunicação no estilo Trump

Eleito no primeiro turno, algo inédito para uma disputa da prefeitura de São Paulo, João Doria Jr. se envolveu em polêmicas desde antes de assumir o mandato – além do já citado aumento da velocidade nas marginais, houve também a proposta de alteração do local de grandes shows na Virada Cultural.

Após ser empossado, o tucano decidiu colocar em prática o programa Cidade Linda, cuja ação mais criticada foi a remoção dos grafites que coloriam a Avenida 23 de Maio. Além disso, declarou guerra aos pichadores da capital.

"Faz parte da estratégia dele, se posicionar diantes das polêmicas. A gente faz um paralelo com o Trump, que ganhou a eleição [para a Presidência dos EUA] justamente por ter se posicionado em coisas polêmicas", afirmou o professor Trujillo. "Não há dúvidas no mundo inteiro que Trump venceu a eleição porque teve uma melhor comunicação."

Segundo o especialista em marketing político, esta postura de Doria, mesmo que seja alvo de polêmicas, surte um efeito positivo no seu eleitorado neste momento.

"A imagem que ele passa é de alguém que tem opinião própria, se posiciona e está próximo", explicou Trujillo. "O eleitor quer ‘pulso’, previsibilidade. Quer um prefeito que ele conheça o temperamento, as convicções e valores, de forma que não o surpreenda com uma decisão inesperada."

Band

As Mais Visitadas

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

Prefeitos baianos do PMDB, DEM e outras siglas fazem fila de quase uma hora para tirar selfies com Lula

Ontem (19) pela manhã, o petista participou de um evento com mais de 60 prefeitos de cidades do interior baiano. Na plateia havia políticos de partidos como PMDB e DEM, que apoiaram o Senado investigasse a ex-presidente Dilma Rousseff e integram a base do governo Michel Temer. Quem via de longe pensava que as filas próximas ao palco para tirar uma selfie com Lula era da comunidade local, mas eram compostas na realidade por gestores das mais variadas correntes.Apesar das críticas de Lula ao atual presidente Michel Temer, os prefeitos formaram uma fila de quase uma hora para tirar fotos com o petista. Um prefeito do PMDB que pediu para não ter o nome divulgado explicou tanta admiração. Segundo ele, Lula é muito admirado no Nordeste e pode ser um grande cabo eleitoral para 2018.Lula usou um palavrão para criticar a situação econômica do País. "Este País é grande demais. Este País não nasceu para ser a m. que é", disse o ex-presidente que logo em seguida tentou se desculpar. &qu…

Mari e Sapé na PB; universitários revelam situação do transporte municipal para as faculdades

Revista Páginas - Universitários da cidade de Mari e Sapé, ambos localizados na zona da mata da Paraíba, que necessitam utilizar os ônibus que as prefeituras dos municípios citados acima disponibilizam não estão nada satisfeitos. Por meio das redes sociais os estudantes denunciam a situação precária do serviço oferecido.Foto 1: Alunos da cidade de Mari.Segundo relatou a universitária Marcela Monteiro em seu perfil no Facebook, ela foi "obrigada" a fazer o trajeto de ida e volta para João Pessoa, dividindo a poltrona com outros dois colegas. Não há acentos disponível para a demanda. A universitária revelou que a secretária de educação foi procurada e não conseguiu uma solução para o problema. Foto 2: Alunos da cidade de Sapé.Na cidade de Sapé, cerca de 20 alunos são transportados em pé todas as noites, no ônibus que os levam para a IESP Faculdade. Conforme escreveu nas redes sociais Quelfn Antônio ao esplanar o problema. "Risco de quedas e de se machucarem, sem contar co…