Pular para o conteúdo principal

Explosão em hotel do Grupo Silvio Santos deixa feridos

Uma explosão provocada por vazamento de gás acabou ferindo ao menos duas pessoas no hotel Sofitel Jequitimar, no Guarujá, litoral sul de São Paulo, nesta segunda-feira (23). O empreendimento pertence ao grupo do apresentador Silvio Santos. Os hóspedes foram encaminhados a hotéis da região e os funcionários foram dispensados.

De acordo com o Corpo de Bombeiros do Guarujá, o acidente aconteceu por volta das 14h e já foi controlado. Ainda não há uma avaliação geral dos danos causados nem as condições das vítimas, que foram socorridas pelo Samu.

Os bombeiros estão no hotel para analisar se ainda há perigo de fogo e se há risco estrutural. O acesso ao hotel foi isolado.A energia elétrica do hotel foi desligada para evitar riscos e os hóspedes foram transferidos para outros hotéis da cidade. Muitos deles tiveram que sair sem levar os veículos ou bagagens.

A esteticista Valéria Ribeiro estava nos corredores do hotel com o seu marido quando percebeu uma grande movimentação."Ficamos apavorados. Soubemos que hóspedes foram atingidos e tivemos medo de saber de mortos, gente mutilada", diz.

Foi tudo muito rápido. Em menos de dez minutos o hotel estava isolado. Foi um grande susto. Com esse clima chuvoso só queremos pegar nossas coisas e ir embora", afirma. O ginecologista Gustavo Maximiliano da Silva, que está a passeio na cidade com a esposa e um filho, também teve que deixar carro e bagagem para trás.

Morador de São Paulo, ele conta que não ouviu a explosão e só soube do que aconteceu ao ouvir funcionários do hotel gritando emergência e batendo na porta do seu quarto. "Deu tempo somente de pegar alguns pertences. Corremos para a praia, pois ainda não estava chovendo e depois ficamos em uma padaria aguardando informações", diz ele. "Fomos uns dos primeiros hóspedes a saber que seríamos transferidos e estamos bem abrigados. Me planejei para ir embora amanhã [quinta-feira, 24] ao meio dia, mas não sei se vou conseguir pegar o meu carro. Apesar de tudo, o mais importante é que não houve grande quantidade de feridos", declara.

BARULHO

No fim do dia, o hotel permitiu que os hóspedes e funcionários retirassem seus veículos da garagem. Não foi permitido, no entanto, que eles entrassem nos quartos para pegar a bagagem.
Outros hóspedes, no entanto, resolveram ir embora da cidade após a explosão. O taxista Balbino Oliveira conta que a companhia de táxi para a qual trabalha foi chamada por hóspedes do hotel para fazer duas viagens: uma para o aeroporto de Guarulhos e outra para o bairro de Pinheiros, na zona oeste da capital paulista.

Os funcionários do hotel foram dispensados e não sabem quando voltam a trabalhar. Funcionários da cozinha que não quiseram se identificar contaram que viram pedaços da estrutura do hotel voando após a explosão e logo foram orientadas a sair do local.

"O barulho foi grande, mas não vi muita coisa. Ficamos assustados. Quem trabalhava lá não foi atingido, apenas hóspedes se feriram. Isolaram o local e não pudemos mais entrar. Aguardamos ordem dos superiores para saber se vamos trabalhar amanhã", disse um funcionário.

O hotel de luxo, com diárias, em média, de R$ 1.000, foi inaugurado em 2006 e fica na praia de Pernambuco, uma das mais badaladas do balneário.

A reportagem ainda não conseguiu fazer contato com a administração do empreendimento.

Folhapress

As Mais Visitadas

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

De volta ao Brasil colonial (4)

(Fragmento do artigo de João Sicsú   disponível no site da CartaCapital)"Mais que o governo, o Estado se torna autoritário e violento. Todas as instituições que outrora deveriam constituir uma república democrática se voltam contra os trabalhadores. A Justiça, o governo, o Congresso, as polícias e os grandes meios de comunicação estarão todos a serviço da nova Coroa e contra os trabalhadores. Os cargos de comando nessas instituições são ocupados majoritariamente por integrantes de famílias tradicionais e conservadoras da elite local. E essa elite se desdobra para favorecer a nova Coroa e seus próprios interesses (de poder e patrimoniais).A elite colonizada se revela sem qualquer discrição: rouba, forma quadrilhas, paga e recebe propina, não atende necessidades básicas da população, saqueia o orçamento público e elimina direitos sociais. O Estado democrático, prestador de serviços e garantidor do bem-estar social desaparece. O Estado volta a ser autoritário, violento e perde a fu…

Mari e Sapé na PB; universitários revelam situação do transporte municipal para as faculdades

Revista Páginas - Universitários da cidade de Mari e Sapé, ambos localizados na zona da mata da Paraíba, que necessitam utilizar os ônibus que as prefeituras dos municípios citados acima disponibilizam não estão nada satisfeitos. Por meio das redes sociais os estudantes denunciam a situação precária do serviço oferecido.Foto 1: Alunos da cidade de Mari.Segundo relatou a universitária Marcela Monteiro em seu perfil no Facebook, ela foi "obrigada" a fazer o trajeto de ida e volta para João Pessoa, dividindo a poltrona com outros dois colegas. Não há acentos disponível para a demanda. A universitária revelou que a secretária de educação foi procurada e não conseguiu uma solução para o problema. Foto 2: Alunos da cidade de Sapé.Na cidade de Sapé, cerca de 20 alunos são transportados em pé todas as noites, no ônibus que os levam para a IESP Faculdade. Conforme escreveu nas redes sociais Quelfn Antônio ao esplanar o problema. "Risco de quedas e de se machucarem, sem contar co…