Pular para o conteúdo principal

Loco Abreu atrai patrocínio de R$ 1 milhão e vende 350 camisas do Bangu

Ao atingir a sensação térmica de mais de 40 graus, Bangu ferve. É este o clima com a chegada de Loco Abreu, que tornou Moça Bonita mais atrativa e ajudou a vender 1.200 ingressos para a estreia do time, domingo, contra a Portuguesa.

A partida será um grande homenagem a Loco. O uruguaio ganhará camisa comemorativa e todas aquelas surpresas compatíveis com momentos de estreia como este. Mas é o Bangu que celebra.

A apresentação de Loco (há exatos 30 dias) já foi responsável pela venda de 350 camisas em um mês, 50% de todo o estoque vendido em 2016.

Por causa do Uruguaio, o Bangu lançará o seu programa de sócio-torcedor,  o "Partiu Bangu". Custará R$ 29,90 e o clube quer captar mil torcedores em 60 dias.

Responsável por grande parte da folha salarial, de R$ 380 mil, Loco trará retorno em breve. O clube negocia acordo milionário com patrocinador para o Carioca. Dinheiro que pagará com folga os vencimentos do futebol, consumidos, em sua maior parte, também por Peralta e Almir.

Profissional do mercado financeiro, Luiz Henrique Lessa, diretor-executivo do Bangu, explica como funciona o processo de resgate do tradicional clube do Rio, que completará 113 anos em abril, número da camisa de Loco Abreu, que foi racional ao escolher o time da Zona Oeste em seu retorno ao Brasil, com diz o executivo.

- Ele se encaixa neste processo de resgate do Bangu e reconstrução da marca. Estas 350 camisas vendidas em um mês refletem o interesse crescente não apenas por parte da torcida, mas das empresas. Estamos conduzindo negociações que renderão, em patrocínio master, R$ 1 milhão ao Bangu no Carioca - disse Lessa, ressaltando o cuidado extensivo aos demais setores do clube:

- O Bangu não tinha departamento de marketing, já tem. Não há endividamentos bancários, apenas passivo trabalhista, com processos isolados. Em breve, lançaremos nossa própria plataforma de venda na internet e, somado ao programa de sócio-torcedor, vamos criar receitas capazes de bancar a parte estrutural sem dependermos das cotas de TV, nossa principal fonte econômica hoje em dia.

O Globo

As Mais Visitadas

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

Parte da História da Cidade de Mari Paraíba-PB

Em 1873, com a passagem da Estrada de Ferro - CWRB (hoje Rede Ferroviária do Nordeste) na região onde se situa o município, foi construída uma Estação Ferroviária, hoje (Rádio Araçá), iniciando-se o povoamento do lugar que recebeu o nome de Araçá, fruto existente em grande quantidade na região.Em 1900, construiu-se a Capela, hoje (Paróquia do Sagrado Coração de Jesus) que atraiu novos moradores. Foi aberta, então, a primeira rua, a rua do comércio, progredindo o povoado, que alcançou a categoria de Vila, em 1938.Em 1946, as famílias de Manoel de Paula Magalhães e de José Leão de Oliveira, procedentes de Alagoas, implantaram e desenvolveram a cultura do fumo, antes uma das maiores riquesas do município.Em 1953, a Capela foi elevado à Paróquia, tendo como primeiro vigário o padre João de Noronha.Sua formação administrativa: Distrito criado com a denominação de Araçá, por ato municipal anterior a 02-03-1938 e em virtude do Distrito no parágrafo único do artigo 10 da Lei Estadual N° 424, …

Mari - Imagem traduz a letra de Maria Anuciada Dias/União e Trabalho

Esta imagem que tem a igreja de fundo traduz a letra de Maria Anuciada Dias, da primeira parte do hino da cidade de Mari PB.
Hino:
                               IMinha terra hospitaleira tem um lindo céu de anil campos vastos e verdejantes
Sol e luar primaveris é Mari, cidade amada que guardo no coração és por Deus abençoada pedaço do meu Brasil
Oh!  Mari terra adorada
Eu te tenho grande amor
És cidade do trabalho
Terra do agricultor
O teu povo Bravo e forte tem por ti veneração segue o lema da tua bandeira
União e Trabalho Hino de Mari/PB
Letra e música: Maria Anuciada Dias
Criado em: 22/08/1989FOTO: via Facebook