Pular para o conteúdo principal

Loco Abreu atrai patrocínio de R$ 1 milhão e vende 350 camisas do Bangu

Ao atingir a sensação térmica de mais de 40 graus, Bangu ferve. É este o clima com a chegada de Loco Abreu, que tornou Moça Bonita mais atrativa e ajudou a vender 1.200 ingressos para a estreia do time, domingo, contra a Portuguesa.

A partida será um grande homenagem a Loco. O uruguaio ganhará camisa comemorativa e todas aquelas surpresas compatíveis com momentos de estreia como este. Mas é o Bangu que celebra.

A apresentação de Loco (há exatos 30 dias) já foi responsável pela venda de 350 camisas em um mês, 50% de todo o estoque vendido em 2016.

Por causa do Uruguaio, o Bangu lançará o seu programa de sócio-torcedor,  o "Partiu Bangu". Custará R$ 29,90 e o clube quer captar mil torcedores em 60 dias.

Responsável por grande parte da folha salarial, de R$ 380 mil, Loco trará retorno em breve. O clube negocia acordo milionário com patrocinador para o Carioca. Dinheiro que pagará com folga os vencimentos do futebol, consumidos, em sua maior parte, também por Peralta e Almir.

Profissional do mercado financeiro, Luiz Henrique Lessa, diretor-executivo do Bangu, explica como funciona o processo de resgate do tradicional clube do Rio, que completará 113 anos em abril, número da camisa de Loco Abreu, que foi racional ao escolher o time da Zona Oeste em seu retorno ao Brasil, com diz o executivo.

- Ele se encaixa neste processo de resgate do Bangu e reconstrução da marca. Estas 350 camisas vendidas em um mês refletem o interesse crescente não apenas por parte da torcida, mas das empresas. Estamos conduzindo negociações que renderão, em patrocínio master, R$ 1 milhão ao Bangu no Carioca - disse Lessa, ressaltando o cuidado extensivo aos demais setores do clube:

- O Bangu não tinha departamento de marketing, já tem. Não há endividamentos bancários, apenas passivo trabalhista, com processos isolados. Em breve, lançaremos nossa própria plataforma de venda na internet e, somado ao programa de sócio-torcedor, vamos criar receitas capazes de bancar a parte estrutural sem dependermos das cotas de TV, nossa principal fonte econômica hoje em dia.

O Globo

As Mais Visitadas

Ex-atriz da globo deixa vergonha de lado e fica completamente nua ao trocar biquíni em praia

Segundo fotógrafo que fez os cliques, Clariane Caxito estava posando para um catálogo de moda praia, por isso a desinibida troca de roupaClariane Caxito, atriz que participou do "Zorra Total" antes do programa ser reformulado, foi flagrada em poses bem indiscretas neste domingo, 22. Ela foi vista na praia do Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, enquanto trocava de biquíni.Isso mesmo que você leu. Sem a menor cerimônia, a morena ficou com os seios à mostra no momento de mudar o sutiã e depois também trocou a calcinha, deixando absolutamente tudo de fora!Segundo o fotógrafo que fez os cliques, Clariane estava acompanhada por uma equipe de profissionais, enquanto posava para um catálogo de moda praia, por isso a troca de biquíni. Nas imagens, no entanto, nenhum sinal de outra pessoa, a não ser a "peladona da praia".Após a troca de biquíni, a morena foi se refrescar no mar e, antes de entrar na água, deu uma empinada estratégica no bumbum. EGO

Cruzeiro E C de Mari-PB, o mais querido do brejo.

O saudoso Cruzeiro Esporte Clube de Mari-PB, uma equipe de futebol amadora, que figurou no cenário do esporte paraibano nas décadas de 70, 80 e começo de 90.
Mesmo não fazendo atuações no campeonato da elite do estado, a simpatica equipe de Mari sempre orgulhou os filhos da terra, sagrando-se campeão da Copa Matutão, em 1980-(espécie de segunda divisão do paraibano de hoje).
Devido a essa alegria, a forte equipe ganhou o apelido de "O mais querido do brejo". O Cruzeiro de Mari, foi um adversário á altura para as principais equipes do futebol paraibano, enfrentando; Treze, Campinense, Botafogo, Guarabira e o também extinto Confiança de Sapé. Possível escalacão de uma das fotos, em pé: Guri, Adroaldo, Nozinho, Lula, Mison, Alcídes, agachados: Bibiu, Ribeiro, Nêgo, Romeu e Gordo. FONTES: Federação Paraibana de Futebol CRÉDITO: Aldoberg Ivanildo da Silva

De acordo com a CBF o Estádio O Tadeuzão em Sapé/PB é municipal

A Diretoria de Competições da CBF concluiu o Cadastro Nacional de Estádios de Futebol (CNEF) 2016. É um raio-X do cenário brasileiro, que tem 790 locais de disputa catalogados pela entidade.O documento de 97 páginas tem detalhes como a localização, proprietários, capacidade, iluminação e a ficha de cada estrutura. A Região Sudeste tem 260 estádios, sendo 132 municipais, 125 particulares e três estaduais. O Nordeste vem na sequência, com 241. O Sul conta com 144 e o Centro-Oeste com 85. Já a Região Norte tem 60.A maioria dos estádios (59,2%) é administrada pelos governos municipais. Os particulares preenchem a segunda maior fatia: 34,4%. Os estaduais são 5,9% e os federais apenas 0,5%.O cadastro inclui lugares que recebem jogos recreativos, amadores e profissionais em todas as esferas de organização, seja a partida menos expressiva de um campeonato municipal à final do Brasileirão. Por isso, esse relatório tem números curiosos, como os índices de estádios com (64%) e sem (36%) iluminaç…