Pular para o conteúdo principal

Equipamentos públicos para prática de esportes estão abandonados em Sapé/PB

O município de Sapé, Zona da Mata Paraibana, se depara com o sucateamento dos equipamentos públicos destinados à prática de esportes. Quadras poliesportivas, campos e ginásios estão em ruínas, deixando a juventude, estudantes e desportistas sem opção de praticar as mais diversas modalidades de esportes.

Na Escola Municipal Luís Inácio Ribeiro Coutinho, a maior escola do município, as obras dos dois ginásios poliesportivos estão paradas há vários anos. Já no prédio do Centro de Formação de Professores de Sapé, que abriga outras escolas no complexo, uma quadra coberta está em ruínas, com a cobertura caindo aos pedaços, inclusive colocando em risco os estudantes que ali frequentam no pátio da escola.

Outro exemplo do descaso com o esporte é o Centro Social Urbano Poeta Augusto dos Anjos (CSU), o maior complexo esportivo público do município, onde duas quadras poliesportivas (não cobertas) e um campo de futebol estão abandonados, com arquibancadas quebradas, campo de futebol sem gramado e postes sem refletores, o mato também toma conta do local. O espaço está sendo utilizado para a aplicação das provas práticas do Detran-PB, onde as quadras são convertidas em pistas de provas para as balizas dos exames com motocicletas.

O CSU consiste em uma enorme área localizada entre o Centro da Cidade e o Bairro de Nova Brasília, o mais populoso do município, e está sendo ocupado por famílias que utilizam o terreno para plantio e as calçada para a edificação de barracas. Até a Prefeitura iniciou a obra de um posto de saúde no terreno do CSU, mas esta obra também se encontra parada, e assim o Centro Social Urbano se transforma em um grande ‘elefante branco’ que vem sendo subutilizado e relegado ao descaso.

Com o surgimento de novos loteamentos habitacionais, o município perde gradativamente os tradicionais ‘campos de peladas’, restando aos praticantes de esportes apenas os clubes privados (AABB, Atlético e Estrela), o ginásio da Cidade Cristã e o campo privado de futebol society no Loteamento Abel Cavalcante, locais estes que cobram taxas de utilização por hora. Nenhuma praça do município está equipada com quadras ou campos.

Enquanto o país ainda relembra grandes eventos como as Olimpíadas e a Copa do Mundo, o município de Sapé se contenta apenas em ter sido roteiro de passagem da tocha olímpica, e na contramão das prioridades, Estado e Município não implementam qualquer política para a área, não investem em nenhuma modalidade esportiva e não oferecem qualquer incentivo aos desportista sapeenses, com raras exceções como um campeonato de futebol amador que é realizado em parceria entre a Prefeitura e a Liga Sapeense de Esporte Amador, mesmo que nos discursos e programas de governo dos gestores, o esporte sempre seja sempre colocado como prioridade na formação dos cidadãos e na melhoria da qualidade de vida. As informações são de Sapé na Web.

Fotos: Jorge Galdino

As Mais Visitadas

Parte da História da Cidade de Mari Paraíba-PB

Em 1873, com a passagem da Estrada de Ferro - CWRB (hoje Rede Ferroviária do Nordeste) na região onde se situa o município, foi construída uma Estação Ferroviária, hoje (Rádio Araçá), iniciando-se o povoamento do lugar que recebeu o nome de Araçá, fruto existente em grande quantidade na região.Em 1900, construiu-se a Capela, hoje (Paróquia do Sagrado Coração de Jesus) que atraiu novos moradores. Foi aberta, então, a primeira rua, a rua do comércio, progredindo o povoado, que alcançou a categoria de Vila, em 1938.Em 1946, as famílias de Manoel de Paula Magalhães e de José Leão de Oliveira, procedentes de Alagoas, implantaram e desenvolveram a cultura do fumo, antes uma das maiores riquesas do município.Em 1953, a Capela foi elevado à Paróquia, tendo como primeiro vigário o padre João de Noronha.Sua formação administrativa: Distrito criado com a denominação de Araçá, por ato municipal anterior a 02-03-1938 e em virtude do Distrito no parágrafo único do artigo 10 da Lei Estadual N° 424, …

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

Mari - Imagem traduz a letra de Maria Anuciada Dias/União e Trabalho

Esta imagem que tem a igreja de fundo traduz a letra de Maria Anuciada Dias, da primeira parte do hino da cidade de Mari PB.
Hino:
                               IMinha terra hospitaleira tem um lindo céu de anil campos vastos e verdejantes
Sol e luar primaveris é Mari, cidade amada que guardo no coração és por Deus abençoada pedaço do meu Brasil
Oh!  Mari terra adorada
Eu te tenho grande amor
És cidade do trabalho
Terra do agricultor
O teu povo Bravo e forte tem por ti veneração segue o lema da tua bandeira
União e Trabalho Hino de Mari/PB
Letra e música: Maria Anuciada Dias
Criado em: 22/08/1989FOTO: via Facebook