Pular para o conteúdo principal

Memorial das Ligas camponesas promove Semana Elizabeth Teixeira

Camponesas, em parceria com o Centro de Comunicação, Turismo e Artes da Universidade Federal da Paraíba (CCTA/UFPB), com a Secretaria de Cultura do Estado da Paraíba e diversos artistas parceiros, promoverão a Semana Elizabeth Teixeira, que ocorrerá entre os dias 13 e 18 de fevereiro, no Campus da UFPB, na Usina Cultural Energisa e no Escola de Formação João Pedro e Elizabeth Teixeira/MST, em Lagoa Seca.

A semana em homenagem à líder camponesa terá uma agenda intensa de atividades, com a celebração do aniversário de 92 anos de idade de Elizabeth Teixeira, considerada uma das mulheres mais importantes e marcantes na luta camponesa do século XX.

Essas comemorações darão início à campanha de arrecadação de fundos para a continuidade às lutas em defesa dos trabalhadores camponeses e à construção do prédio Anexo do Memorial das Ligas Camponesas, fundamental para estruturar e dar suporte a projetos de longo prazo promovidos pela entidade.

Programação

Dia 13/02 – 17h – Cine Aruanda (CCTA/UFPB – próximo a entrada em frente à rotatória da UFPB): Celebração dos 92 anos de Elizabeth Teixeira, com lançamento do livro “Elizabeth Teixeira, mulher da terra”, de Ayala A. Rocha, e participação do Coral Voz Ativa, Vera Lima e Banda Manégrafia.

Dia 15/02 – 19h30min – Cine Aruanda (CCTA/UFPB – próximo a entrada em frente à rotatória da UFPB): Exibição do filme “Cabra Marcado Para Morrer”, de Eduardo Coutinho.

Dia 17/02 – 20h – Usina Cultural Energisa: Show beneficente, com a participação dos artistas Adeildo, Banda Manégrafia, Coral Voz Ativa, Glaucia Lima, Escurinho, Seu Pereira, Milton Dornellas e Totonho. Adesão: R$ 20,00.

Dia 18/02 – Escola de Formação João Pedro e Elizabeth Teixeira/MST, em Lagoa Seca: Lançamento do livro “Elizabeth Teixeira, mulher da terra”, de Ayala A. Rocha.

Adufpb.org.br

As Mais Visitadas

Parte da História da Cidade de Mari Paraíba-PB

Em 1873, com a passagem da Estrada de Ferro - CWRB (hoje Rede Ferroviária do Nordeste) na região onde se situa o município, foi construída uma Estação Ferroviária, hoje (Rádio Araçá), iniciando-se o povoamento do lugar que recebeu o nome de Araçá, fruto existente em grande quantidade na região.Em 1900, construiu-se a Capela, hoje (Paróquia do Sagrado Coração de Jesus) que atraiu novos moradores. Foi aberta, então, a primeira rua, a rua do comércio, progredindo o povoado, que alcançou a categoria de Vila, em 1938.Em 1946, as famílias de Manoel de Paula Magalhães e de José Leão de Oliveira, procedentes de Alagoas, implantaram e desenvolveram a cultura do fumo, antes uma das maiores riquesas do município.Em 1953, a Capela foi elevado à Paróquia, tendo como primeiro vigário o padre João de Noronha.Sua formação administrativa: Distrito criado com a denominação de Araçá, por ato municipal anterior a 02-03-1938 e em virtude do Distrito no parágrafo único do artigo 10 da Lei Estadual N° 424, …

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

Mari - Imagem traduz a letra de Maria Anuciada Dias/União e Trabalho

Esta imagem que tem a igreja de fundo traduz a letra de Maria Anuciada Dias, da primeira parte do hino da cidade de Mari PB.
Hino:
                               IMinha terra hospitaleira tem um lindo céu de anil campos vastos e verdejantes
Sol e luar primaveris é Mari, cidade amada que guardo no coração és por Deus abençoada pedaço do meu Brasil
Oh!  Mari terra adorada
Eu te tenho grande amor
És cidade do trabalho
Terra do agricultor
O teu povo Bravo e forte tem por ti veneração segue o lema da tua bandeira
União e Trabalho Hino de Mari/PB
Letra e música: Maria Anuciada Dias
Criado em: 22/08/1989FOTO: via Facebook