Pular para o conteúdo principal

INCHANDO A FOLHA : Prefeito de Sapé aumenta em 163% a folha de contratados da prefeitura.



A Prefeitura de Sapé, Zona da Mata Paraibana, vem promovendo um verdadeiro inchaço na folha funcional do município, elevando desenfreadamente o número de servidores contratados por excepcional interesse público. Enquanto os servidores efetivos totalizam 711, os contratados passaram de 145 em janeiro de 2015, para 382 em outubro do mesmo ano, o que representa um aumento de mais de 163% em apenas dez meses. Os dados são do Sagres (Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade) do Tribunal de Contas do Estado. Mas os números não param por aí. Na Secretaria de Saúde, o número de contratados já supera o total de servidores efetivos. Dados do Fundo Municipal de Saúde, também disponíveis no Sagres, demonstram que no setor de Saúde os contratados já totalizam 424, enquanto que os servidores efetivos são apenas 348, ou seja, já existem 76 servidores contratados a mais que os efetivos. Enquanto isso, a população reclama da falta de médicos e da precarização do atendimento hospitalar. A "farra" das contratações também acontece com os recursos do Fundo Municipal de Assistência Social. Nesta secretaria, os contratados totalizam 68, enquanto que os efetivos são apenas 50. Na lista de servidores contratados encontramos 14 digitadores, e dentre os servidores efetivos não existe nenhum funcionário nesta área. Este exemplo demonstra a necessidade de concurso público para várias áreas do setor público de Sapé. Na prefeitura e nas Secretarias de Saúde e de Assistência Social, o número de servidores contratados já totaliza 874, dados de outubro de 2015, último mês disponibilizado no sistema do Tribunal de Contas. As secretaria citadas trabalham no sistema de gestão plena, ou seja, são autônomas e possuem gestão própria onde os secretários são os gestores dos fundos municipais de Saúde e Assistência Social, respectivamente. As contratações nessa modalidade acontecem desde abril de 2013, primeiro ano da atual gestão. A contratação por excepcional interesse público é prevista em lei para contratação de mão-de-obra por tempo determinado e com a finalidade de atender a necessidade temporária de excepcional interesse do serviço público, contudo, a Prefeitura de Sapé vem utilizando essa modalidade para suprir necessidades permanentes, postergando a realização de concurso público, pagando salários inferiores aos dos servidores efetivos, perpetuando apadrinhados no serviço público e deixando de dar oportunidade a milhares de pessoas que estudam e se preparam para prestar concursos. Essa é a cara da gestão do prefeito Roberto Feliciano (foto), que segundo o blogueiro Dércio, não sabe nem classificá-la, diante das fortes denúncias feitas neste dia 15,  pelo radialista Nilvan Ferreira, no programa Rádio Verdade da Arapuan. Nas denúncias feitas pelo radialista, está a ocupação de quase todos os cargos de primeiro escalão por parte da família do prefeito Roberto Feliciano. "Sapé precisa mudar. O povo já não aguenta mais essa gestão perseguidora e desmantelada", declarou o vereador Jojó (DEM).

Da Redação
Via: O Farol

As Mais Visitadas

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

Ex-atriz da globo deixa vergonha de lado e fica completamente nua ao trocar biquíni em praia

Segundo fotógrafo que fez os cliques, Clariane Caxito estava posando para um catálogo de moda praia, por isso a desinibida troca de roupaClariane Caxito, atriz que participou do "Zorra Total" antes do programa ser reformulado, foi flagrada em poses bem indiscretas neste domingo, 22. Ela foi vista na praia do Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, enquanto trocava de biquíni.Isso mesmo que você leu. Sem a menor cerimônia, a morena ficou com os seios à mostra no momento de mudar o sutiã e depois também trocou a calcinha, deixando absolutamente tudo de fora!Segundo o fotógrafo que fez os cliques, Clariane estava acompanhada por uma equipe de profissionais, enquanto posava para um catálogo de moda praia, por isso a troca de biquíni. Nas imagens, no entanto, nenhum sinal de outra pessoa, a não ser a "peladona da praia".Após a troca de biquíni, a morena foi se refrescar no mar e, antes de entrar na água, deu uma empinada estratégica no bumbum. EGO

O saudoso Confiança E C de Sapé/PB

História Confiança Esporte Clube, agremiação esportiva de Sapé, no estado da Paraíba, fundada a 22 de abril de 1953. Resultado da divisão do Atlético, uma equipe amadora de Sapé. O nome do clube foi uma homenagem ao Moinho Confiança se propriedade de Genival Torres, que doou todo material esportivo, sendo inclusive um dos fundadores. Década de 90 A década de 90, foi o auge do clube. O clube se profissionalizou em 1996. Em seu primeiro ano de competição, no campeonato Paraibano, terminou em terceiro lugar. A forte equipe contava com grandes jogadores; Lúcio, Warlei, Washington Lobo, Ramiro, Betinho, Willian, Eduardo Luiz, Cícero, Reinaldo e Forly.
Em 1997, o Confiança consagrou-se campeão paraibano de futebol, sendo o primeiro - e até hoje, único - time do Brejo a conseguir a honraria. Declínio Após o título de 1997, o Confiança seria o representante paraibano na Copa do Brasil de 1998, mas abdicou da vaga, reapassando-a ao Botafogo/PB.
Com uma campanha fraca no campeonato Paraibano …