Pular para o conteúdo principal

No Pará governador irá gastar R$ 12 Mil só em refrigerantes

O governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), deu de ombros para a repercussão negativa causada há cerca de 1 mês, quando o Diário Oficial do Estado (DOE) revelou que um dos órgãos chave do Governo, a Casa Civil, iria torrar quase R$ 12 mil apenas com refrigerantes. Na edição de ontem do DOE, o chefe da Casa Civil, José Megale, informou a homologação do pregão eletrônico, anunciando a Brasil Alimentos Comércio e Serviços LTDA como a empresa vencedora do certame.

Megale, ex-deputado estadual pelo mesmo partido de Jatene, autorizou a nota de empenho no valor de R$ 11.646,72, verba que sairá dos cofres públicos, sem que o contribuinte tenha autorizado a gastança com produtos supérfluos. Enquanto isso, vários municípios do interior do Estado estão arrasados financeiramente e com muitos moradores sobrevivendo em situação de miséria extrema. Os quase R$ 12 mil que Jatene vai gastar com a compra de latinhas de refrigerantes daria, tranquilamente, para comprar e distribuir quase 30 cestas básicas, ao custo de R$ 420 cada. Pode parecer pouco, mas chegaria em bom momento à população carente do Pará.

HAJA SEDE!

O edital descreve a quantidade exata de latas de refrigerantes que serão consumidas pelos servidores e comissionados lotados na Casa Civil do Governo do Estado. O absurdo começa pela distinção do produto, para atender a todos os públicos - os que tomam o tradicional refrigerante comum e os que só ingerem os chamados diets. A Casa Civil estimou o consumo de 2.304 latinhas de refrigerantes comuns, o que totaliza um valor estimado em R$ 5.250.

Outras 2.160 latas são para os funcionários de Jatene que preferem consumir refrigerante diet. Cada unidade, segundo o edital, custará R$ 4. O gasto total, só com esse tipo de produto, é de R$ 8.640. Um detalhe importante: a lata de uma Coca-Cola Zero, marca mais famosa desse tipo de refrigerante, custa R$ 2,24 nos supermercados de Belém, quase metade do valor pago por Jatene.

Diário do Pará

As Mais Visitadas

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

Parte da História da Cidade de Mari Paraíba-PB

Em 1873, com a passagem da Estrada de Ferro - CWRB (hoje Rede Ferroviária do Nordeste) na região onde se situa o município, foi construída uma Estação Ferroviária, hoje (Rádio Araçá), iniciando-se o povoamento do lugar que recebeu o nome de Araçá, fruto existente em grande quantidade na região.Em 1900, construiu-se a Capela, hoje (Paróquia do Sagrado Coração de Jesus) que atraiu novos moradores. Foi aberta, então, a primeira rua, a rua do comércio, progredindo o povoado, que alcançou a categoria de Vila, em 1938.Em 1946, as famílias de Manoel de Paula Magalhães e de José Leão de Oliveira, procedentes de Alagoas, implantaram e desenvolveram a cultura do fumo, antes uma das maiores riquesas do município.Em 1953, a Capela foi elevado à Paróquia, tendo como primeiro vigário o padre João de Noronha.Sua formação administrativa: Distrito criado com a denominação de Araçá, por ato municipal anterior a 02-03-1938 e em virtude do Distrito no parágrafo único do artigo 10 da Lei Estadual N° 424, …

Mari - Imagem traduz a letra de Maria Anuciada Dias/União e Trabalho

Esta imagem que tem a igreja de fundo traduz a letra de Maria Anuciada Dias, da primeira parte do hino da cidade de Mari PB.
Hino:
                               IMinha terra hospitaleira tem um lindo céu de anil campos vastos e verdejantes
Sol e luar primaveris é Mari, cidade amada que guardo no coração és por Deus abençoada pedaço do meu Brasil
Oh!  Mari terra adorada
Eu te tenho grande amor
És cidade do trabalho
Terra do agricultor
O teu povo Bravo e forte tem por ti veneração segue o lema da tua bandeira
União e Trabalho Hino de Mari/PB
Letra e música: Maria Anuciada Dias
Criado em: 22/08/1989FOTO: via Facebook