Pular para o conteúdo principal

No Pará governador irá gastar R$ 12 Mil só em refrigerantes

O governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), deu de ombros para a repercussão negativa causada há cerca de 1 mês, quando o Diário Oficial do Estado (DOE) revelou que um dos órgãos chave do Governo, a Casa Civil, iria torrar quase R$ 12 mil apenas com refrigerantes. Na edição de ontem do DOE, o chefe da Casa Civil, José Megale, informou a homologação do pregão eletrônico, anunciando a Brasil Alimentos Comércio e Serviços LTDA como a empresa vencedora do certame.

Megale, ex-deputado estadual pelo mesmo partido de Jatene, autorizou a nota de empenho no valor de R$ 11.646,72, verba que sairá dos cofres públicos, sem que o contribuinte tenha autorizado a gastança com produtos supérfluos. Enquanto isso, vários municípios do interior do Estado estão arrasados financeiramente e com muitos moradores sobrevivendo em situação de miséria extrema. Os quase R$ 12 mil que Jatene vai gastar com a compra de latinhas de refrigerantes daria, tranquilamente, para comprar e distribuir quase 30 cestas básicas, ao custo de R$ 420 cada. Pode parecer pouco, mas chegaria em bom momento à população carente do Pará.

HAJA SEDE!

O edital descreve a quantidade exata de latas de refrigerantes que serão consumidas pelos servidores e comissionados lotados na Casa Civil do Governo do Estado. O absurdo começa pela distinção do produto, para atender a todos os públicos - os que tomam o tradicional refrigerante comum e os que só ingerem os chamados diets. A Casa Civil estimou o consumo de 2.304 latinhas de refrigerantes comuns, o que totaliza um valor estimado em R$ 5.250.

Outras 2.160 latas são para os funcionários de Jatene que preferem consumir refrigerante diet. Cada unidade, segundo o edital, custará R$ 4. O gasto total, só com esse tipo de produto, é de R$ 8.640. Um detalhe importante: a lata de uma Coca-Cola Zero, marca mais famosa desse tipo de refrigerante, custa R$ 2,24 nos supermercados de Belém, quase metade do valor pago por Jatene.

Diário do Pará

As Mais Visitadas

Ex-atriz da globo deixa vergonha de lado e fica completamente nua ao trocar biquíni em praia

Segundo fotógrafo que fez os cliques, Clariane Caxito estava posando para um catálogo de moda praia, por isso a desinibida troca de roupaClariane Caxito, atriz que participou do "Zorra Total" antes do programa ser reformulado, foi flagrada em poses bem indiscretas neste domingo, 22. Ela foi vista na praia do Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, enquanto trocava de biquíni.Isso mesmo que você leu. Sem a menor cerimônia, a morena ficou com os seios à mostra no momento de mudar o sutiã e depois também trocou a calcinha, deixando absolutamente tudo de fora!Segundo o fotógrafo que fez os cliques, Clariane estava acompanhada por uma equipe de profissionais, enquanto posava para um catálogo de moda praia, por isso a troca de biquíni. Nas imagens, no entanto, nenhum sinal de outra pessoa, a não ser a "peladona da praia".Após a troca de biquíni, a morena foi se refrescar no mar e, antes de entrar na água, deu uma empinada estratégica no bumbum. EGO

Cruzeiro E C de Mari-PB, o mais querido do brejo.

O saudoso Cruzeiro Esporte Clube de Mari-PB, uma equipe de futebol amadora, que figurou no cenário do esporte paraibano nas décadas de 70, 80 e começo de 90.
Mesmo não fazendo atuações no campeonato da elite do estado, a simpatica equipe de Mari sempre orgulhou os filhos da terra, sagrando-se campeão da Copa Matutão, em 1980-(espécie de segunda divisão do paraibano de hoje).
Devido a essa alegria, a forte equipe ganhou o apelido de "O mais querido do brejo". O Cruzeiro de Mari, foi um adversário á altura para as principais equipes do futebol paraibano, enfrentando; Treze, Campinense, Botafogo, Guarabira e o também extinto Confiança de Sapé. Possível escalacão de uma das fotos, em pé: Guri, Adroaldo, Nozinho, Lula, Mison, Alcídes, agachados: Bibiu, Ribeiro, Nêgo, Romeu e Gordo. FONTES: Federação Paraibana de Futebol CRÉDITO: Aldoberg Ivanildo da Silva

De acordo com a CBF o Estádio O Tadeuzão em Sapé/PB é municipal

A Diretoria de Competições da CBF concluiu o Cadastro Nacional de Estádios de Futebol (CNEF) 2016. É um raio-X do cenário brasileiro, que tem 790 locais de disputa catalogados pela entidade.O documento de 97 páginas tem detalhes como a localização, proprietários, capacidade, iluminação e a ficha de cada estrutura. A Região Sudeste tem 260 estádios, sendo 132 municipais, 125 particulares e três estaduais. O Nordeste vem na sequência, com 241. O Sul conta com 144 e o Centro-Oeste com 85. Já a Região Norte tem 60.A maioria dos estádios (59,2%) é administrada pelos governos municipais. Os particulares preenchem a segunda maior fatia: 34,4%. Os estaduais são 5,9% e os federais apenas 0,5%.O cadastro inclui lugares que recebem jogos recreativos, amadores e profissionais em todas as esferas de organização, seja a partida menos expressiva de um campeonato municipal à final do Brasileirão. Por isso, esse relatório tem números curiosos, como os índices de estádios com (64%) e sem (36%) iluminaç…