Pular para o conteúdo principal

Cruz do Espírito Santo/PB: Prefeito nomeia para Chefia de Gabinete condenado por desvio de dinheiro

O prefeito de Cruz do Espírito Santo, Pedrito (PSD), nomeou o ex-vereador Eufrásio Victor Sobrinho, como seu chefe de gabinete. Eufrásio que era o principal adversário de Pedrito até pouco tempo e hoje é o principal assessor do prefeito.

Eufrásio que também conseguiu emplacar sua irmã como vice-prefeita na chapa vitoriosa no último pleito. Mas o que chama mais atenção é a condenação do chefe de gabinete em ação civil pública e penal em diversos crimes contra o poder público. As informações são do jornalista Anderson Soares

Confira as condenações:

(Peculato (art. 312, caput e § 1º) – Crimes praticados por funcionários públicos contra a Administração em Geral – Penal; – Falsificação de documento público (art, 297 e Lei 8,212/91) praticado por Funcionário Público (297, §1º) – Crimes contra a Fé Pública – Penal ; – Crimes da Lei de licitações(Lei 8.666/93) – Crimes Previstos na Legislação Extravagante – Penal).
Como podemos conferir abaixo, no trecho da sentença do processo da Ação Penal Nº 0004552-55.2009.4.05.8200, que condenou o atual Chefe de Gabinete da Prefeitura de Cruz do Espírito Santo. Lembrando que esse processo esta em grau de recurso no tribunal da 5º região em Recife.
“Diante do exposto, JULGO PARCIALMENTE PROCEDENTE a pretensão punitiva estatal deduzida na denúncia, para condenar os réus:
PEDRO IVANILDO FERREIRA CUNHA nas penas do art. 298, caput, do CP, c/c art. 71 do Código Penal (5 vezes), em concurso material com art. 312 do CP.
EUFRÁSIO VICTOR DA SILVA, nas penas do art. 299, caput, do CP , c/c art. 71 do Código Penal (3 vezes), em concurso material com art. 312 do CP do CP.
Considerando o concurso material entre os crimes, que impõe o somatório das penas de reclusão, fixo a reprimenda total em 5 (cinco) anos 02 (dois) meses e 12 (doze) dias de reclusão e 92 (noventa e dois) dias-multa”.
Juíza Federal CRISTIANE MENDONÇA LAGE
Substituta da 3.ª VF, na titularidade da 16.ª VF.

O chefe de Gabinete do Prefeito de Cruz do Esp. Santo também foi condenado em outra ação, sendo essa outra uma ação civil pública Nº 0004551-70.2009.4.05.8200 (Dano ao Erário – Improbidade Administrativa). Veja um trecho da sentença que condena Eufrasio a devolver o dinheiro do colégio Fernando Milanez.

Frente ao exposto, JULGO PROCEDENTES OS PEDIDOS e CONDENO os réus PEDRO IVANILDO FERREIRA CUNHA e EUFRÁSIO VICTOR SOBRINHO pela prática de atos de improbidade elencados nos artigos 9, XI, 10, XI e XII, e 11, I, da Lei 8.429/92.
128. Condeno os réus: …………….
128.2. EUFRÁSIO VICTOR SOBRINHO:
a) ressarcimento integral do dano suportado pelo FNDE, em obrigação solidária com o corréu, no valor no valor de R$ 29.850,00 (vinte e nove mil, oitocentos e cinquenta reais), atualizado monetariamente, desde julho de 2006, e acrescido de juros, a partir da citação;
b) multa civil, em favor do FNDE, no valor de duas vezes a quantia apurada no tópico anterior (item 128.2.a), excluídos somente os juros de mora;
c) suspensão dos direitos políticos, pelo prazo de 08 (oito) anos;
d) proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 10 (dez) anos.
129. Sem condenação em custas e honorários, em face dos réus estarem amparados pela gratuidade judiciária.
130. Publique-se. Registre-se. Intimem-se.
a. Após o trânsito julgado, forneça-se ao Conselho Nacional de Justiça às informações necessárias à atualização do Cadastro Nacional de Condenados por Ato de Improbidade Administrativa-CNCIA, nos termos da Resolução nº. 44 daquele órgão.
131. João Pessoa, 15 de janeiro de 2014.

CRISTIANE MENDONÇA LAGE
Juíza Federal
Substituta da 3ª Vara

As Mais Visitadas

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

Mari e Sapé na PB; universitários revelam situação do transporte municipal para as faculdades

Revista Páginas - Universitários da cidade de Mari e Sapé, ambos localizados na zona da mata da Paraíba, que necessitam utilizar os ônibus que as prefeituras dos municípios citados acima disponibilizam não estão nada satisfeitos. Por meio das redes sociais os estudantes denunciam a situação precária do serviço oferecido.Foto 1: Alunos da cidade de Mari.Segundo relatou a universitária Marcela Monteiro em seu perfil no Facebook, ela foi "obrigada" a fazer o trajeto de ida e volta para João Pessoa, dividindo a poltrona com outros dois colegas. Não há acentos disponível para a demanda. A universitária revelou que a secretária de educação foi procurada e não conseguiu uma solução para o problema. Foto 2: Alunos da cidade de Sapé.Na cidade de Sapé, cerca de 20 alunos são transportados em pé todas as noites, no ônibus que os levam para a IESP Faculdade. Conforme escreveu nas redes sociais Quelfn Antônio ao esplanar o problema. "Risco de quedas e de se machucarem, sem contar co…

De volta ao Brasil colonial (4)

(Fragmento do artigo de João Sicsú   disponível no site da CartaCapital)"Mais que o governo, o Estado se torna autoritário e violento. Todas as instituições que outrora deveriam constituir uma república democrática se voltam contra os trabalhadores. A Justiça, o governo, o Congresso, as polícias e os grandes meios de comunicação estarão todos a serviço da nova Coroa e contra os trabalhadores. Os cargos de comando nessas instituições são ocupados majoritariamente por integrantes de famílias tradicionais e conservadoras da elite local. E essa elite se desdobra para favorecer a nova Coroa e seus próprios interesses (de poder e patrimoniais).A elite colonizada se revela sem qualquer discrição: rouba, forma quadrilhas, paga e recebe propina, não atende necessidades básicas da população, saqueia o orçamento público e elimina direitos sociais. O Estado democrático, prestador de serviços e garantidor do bem-estar social desaparece. O Estado volta a ser autoritário, violento e perde a fu…