Pular para o conteúdo principal

Moro usa Justiça e o Estado para constranger e intimidar investigados

E a história se repete. Mais uma vez, o juiz Sérgio Moro, usa a justiça e o aparato do Estado para intimidar e/ou constranger investigados por ele dentro do âmbito da Operação Lava Jato. Antes de ser mal compreendido, é bom deixar claro que na minha opinião, o juiz Sérgio Moro, prestou um grande serviço ao país ao começar a desvendar um grande esquema de corrupção que corrói há décadas o erário público. Palmas para ele e para o seu trabalho. Porém, de forma nenhuma, essa grande contribuição pode ser amparo para  o magistrado agir da forma que quiser para alcançar seus objetivos pessoais ou jurisdicionais.

Feita a ressalva, entro no tema e relembro ao caro leitor, os episódios que sustentam minha opinião que o magistrado erra ao usar a lei e seu poder para constranger e intimidar pessoas que estão sendo por ele investigadas, mesmo sabendo que mais na frente terá que voltar atrás, pois suas medidas, são limpidamente ilegais e inconstitucionais. 

Moro usa seu amplo lastro favorável junto a opinião pública para, por incrível que pareça, andar fora da lei, passear pela clandestinidade, e logo em seguida, pedir desculpas como se nada tivesse acontecido, e voltar ao Estado Democrático de Direito.

Não foi nada mais que isso que o douto juiz fez ao vazar grampos da então presidente da República, Dilma Rousseff para a imprensa com claro intuito de fustigar a opinião pública  e assim colaborar para que o Congresso Nacional desse mais um passo em direção ao golpe. Chamado atenção Pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o juiz pediu "escusas" reconhecendo que tinha errado, mas o seu objetivo já havia sido alcançado e o estrago era irreparável, como de fato foi.

Em seguida, o juiz repete a dose ao conduzir coercitivamente o ex-presidente Lula, que já havia estado em juízo prestando esclarecimento sobre as denúncias que responde, por tanto, não havia motivo para uma condução coercitiva que só pode ser usada, quando o investigado se nega a ir prestar o depoimento. O que não foi o caso.

Essa semana, Sérgio Moro, repetiu a estratégia. Desta vez contra o blogueiro Eduardo Guimarães, que mantém o Blog da Cidadania, e faz críticas a condução do juiz e do Ministério Público Federal a operação Lava Jato. Moro já processou pessoalmente o blogueiro e o MPF havia pedido investigação por Eduardo ter frustrado os planos da prisão de Lula, ao vazar o que estava acontecendo quando o juiz conduziu sob vara o ex-presidente. A investigação queria saber quem vazou a informação para o blogueiro. Ops, onde fica o sigilo da fonte garantido pela nossa Constituição? No lixo, pois o juiz Sérgio Moro violou mais esse direito.

E depois? O que ele fez? Extinguiu o processo contra o blogueiro alegando que: "Nesse contexto e considerando o valor da imprensa livre em uma democracia e não sendo a intenção deste julgador ou das demais autoridades envolvidas na investigação colocar em risco essa liberdade e o sigilo de fonte, é o caso de rever o posicionamento anterior e melhor delimitar o objeto do processo".

Confirmando que o objetivo da operação ilegal era unicamente constranger o blogueiro, o juiz ainda dá uma zoada com a cara de Eduardo ao dizer que ele informou a fonte sem ser coagido e que “um verdadeiro jornalista não revelaria jamais sua fonte”, concluiu o magistrado.

Sem coação? Data máxima vênia excelência, se ter a casa invadida pela Polícia às 6h, suas coisas reviradas, seus objetos pessoais levados, não ter direito a uma ligação para seu advogado, ficar incomunicável durante toda manhã (e Deus sabe o que aconteceu nesse período), não for coação. Tragam de volta o pau de arara.

Fonte: Marcos Wéric - Publicado em A União

As Mais Visitadas

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

Ex-atriz da globo deixa vergonha de lado e fica completamente nua ao trocar biquíni em praia

Segundo fotógrafo que fez os cliques, Clariane Caxito estava posando para um catálogo de moda praia, por isso a desinibida troca de roupaClariane Caxito, atriz que participou do "Zorra Total" antes do programa ser reformulado, foi flagrada em poses bem indiscretas neste domingo, 22. Ela foi vista na praia do Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, enquanto trocava de biquíni.Isso mesmo que você leu. Sem a menor cerimônia, a morena ficou com os seios à mostra no momento de mudar o sutiã e depois também trocou a calcinha, deixando absolutamente tudo de fora!Segundo o fotógrafo que fez os cliques, Clariane estava acompanhada por uma equipe de profissionais, enquanto posava para um catálogo de moda praia, por isso a troca de biquíni. Nas imagens, no entanto, nenhum sinal de outra pessoa, a não ser a "peladona da praia".Após a troca de biquíni, a morena foi se refrescar no mar e, antes de entrar na água, deu uma empinada estratégica no bumbum. EGO

Adolescente de 14 anos é morta por ex-namorado após ‘ficar’ com outro rapaz em festa na PB

Uma adolescente de 14 anos foi assassinada com dois tiros na madrugada deste domingo (6) em São Sebastião de Lagoa de Roça (Agreste do estado, a 107 km de João Pessoa). O principal suspeito do crime é o ex-namorado da vítima.De acordo com o delegado Ramirez São Pedro, do Núcleo de Homicídios de Queimadas, o crime aconteceu horas após o suspeito ter visto a garota com outro rapaz em uma festa em um sítio da região. Ela havia terminado o namoro com ele há quatro meses e, desde então, recebia muitas ameaças.“Eles namoraram por dois meses e há quatro estavam separados, mas o suspeito não aceitava a situação e ameaçava muito a menina. Na noite de ontem [5], ele viu ela ‘ficando’ com outro rapaz em uma festa e novamente a ameaçou, dizendo que daquela noite ela não passava. A vítima relatou a ameaça a policiais militares que estavam na festa, mas o suspeito já tinha ido embora”, disse o delegado.Depois da festa, a garota foi dormir na casa de uma amiga. Por volta das 4h, o suspeito chegou lá…