Pular para o conteúdo principal

PB: Assembleia concede medalha Epitácio Pessoa ao ex-presidente Lula

A Assembleia Legislativa da Paraíba aprovou a concessão da Medalha Epitácio Pessoa, a mais alta honraria do Poder Legislativo, ao ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, pelos serviços prestados à Paraíba, principalmente, por ter retirado do papel as obras de transposição do Rio São Francisco, que beneficiam mais de cem municípios do estado. A comenda será entregue por ocasião da inauguração popular da transposição, dia 19, em Monteiro.

O projeto, de autoria do deputado estadual Frei Anastácio (PT), foi aprovado por 26 votos a favor e cinco abstenções, depois de muito debate sobre a matéria com parlamentares elogiando a ação do ex-presidente que tirou as obras de transposição do papel e deu andamento. “ A Assembleia está reconhecendo a vontade do povo paraibano, ao aprovar a concessão da mais alta honraria do Poder Legislativo”, disse Frei Anastácio.

Segundo o deputado, são muitos os benefícios deixados pelo governo Lula à Paraíba,mas só o fato concreto da transposição das águas do São Francisco deixar a Paraíba em situação privilegiada, com o maior número de municípios (mais de 100) beneficiados com as águas, já seria motivo da Assembleia Legislativa conferir o título a medalha a Luiz Inácio Lula da Silva, que tirou o projeto do papel e deu andamento às obras. Mas, além disso, existem outras ações que merecem ser pontuadas.

O presidente Inácio Lula da Silva assumiu os destinos do Brasil no período de 2003 a 2010, e deixou impactos positivos para a população em todas as áreas. A Paraíba que durante os anos de seca registrava saques a supermercados e pequenos comércios não sofreu nenhum desses ataques durante os oito anos de governo de Lula.

Entre os incentivos para a educação, a Paraíba foi beneficiada com novos Institutos de Educação que deram a oportunidade a muitos jovens de adquirirem cursos profissionalizantes. No Brasil, foram implantados mais de 200 institutos e 14 novas universidades. Nesse olhar destinado à melhoria da educação, a Paraíba foi beneficiada com a melhoria da Universidade Federal da Paraíba, criação da Universidade Federal de Campina Grande e a abertura de vagas na UFPB, através do programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) para filhos de agricultores, coisa nunca vista antes.

O Pronera já formou na Paraíba, até 20016, 3.551 alunos em 23 cursos. São oferecidos pelo programa cursos de Educação de Jovens e Adultos (EJA), nas modalidades de alfabetização e escolarização dos anos iniciais; cursos técnicos profissionalizantes nas áreas de agropecuária, zootecnia, agroindústria e enfermagem; cursos normais de nível médio (magistério); cursos de graduação de licenciatura em história, ciências agrárias e pedagogia; e cursos de pós-graduação em residência agrária.

O ingresso nos cursos do Pronera acontece por meio de processo seletivo diferenciado destinado apenas aos assentados da reforma agrária e do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNFC) e seus dependentes, além de agricultores acampados, quilombolas, famílias de comunidades extrativistas e professores e educadores com atuação em áreas da reforma agrária.

Foi no Governo Lula, que o Incra na Paraíba, na gestão de Frei Anastácio, serviu de exemplo para o Brasil, com a implantação de assistência Técnica para os assentamentos da Reforma Agrária, em 2008. Esse serviço, que contratou filhos de assentados que terminaram cursos superiores e profissionalizantes, trouxe qualificação e incentivo à produção dos assentamentos na Paraíba e na ampliação das feiras agroecológicas, com produtos cultivados sem nenhum tipo de veneno pelos assentados.

Entre o índice de 43% de redução da pobreza no Brasil, estão milhares de paraibanos que saíram da miséria e, agora, com a chegada da água do Rio São Francisco terão água para beber e para engrandecer a produção agrícola. E esse projeto de transposição saiu do papel graças a determinação e preocupação de Lula com 12 milhões de nordestinos que esperavam por essa água desde que o imperador Dom Pedro II sonhou em realizá-la, em 1847.

No eixo Leste, a água da transposição passará pelos rios do Cariri e Agreste enchendo o açude Poções, em Monteiro, Epitácio Pessoa, em Boqueirão, e a barragem de Acauã, em Itatuba. A água chegará por meio de canais e túneis subterrâneos.

No eixo Norte, a água chegará na Paraíba pela barragem de Caiçara e seguirá para o açude Engenheiro Ávidos, em Cajazeiras, e em seguida para o açude São Gonçalo e Rio Piranhas, chegando ao estado do Rio Grande do Norte, onde terá outras distribuições. A Paraíba conseguiu a aprovação de uma entrada no eixo Norte para o açude de Condado, na cidade de Conceição, no Sertão.

A Paraíba é o estado mais beneficiado com a transposição das águas do Rio São Francisco, com mais de 100 dos 223 municípios contemplados com o projeto.

Wscom

As Mais Visitadas

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

Mari e Sapé na PB; universitários revelam situação do transporte municipal para as faculdades

Revista Páginas - Universitários da cidade de Mari e Sapé, ambos localizados na zona da mata da Paraíba, que necessitam utilizar os ônibus que as prefeituras dos municípios citados acima disponibilizam não estão nada satisfeitos. Por meio das redes sociais os estudantes denunciam a situação precária do serviço oferecido.Foto 1: Alunos da cidade de Mari.Segundo relatou a universitária Marcela Monteiro em seu perfil no Facebook, ela foi "obrigada" a fazer o trajeto de ida e volta para João Pessoa, dividindo a poltrona com outros dois colegas. Não há acentos disponível para a demanda. A universitária revelou que a secretária de educação foi procurada e não conseguiu uma solução para o problema. Foto 2: Alunos da cidade de Sapé.Na cidade de Sapé, cerca de 20 alunos são transportados em pé todas as noites, no ônibus que os levam para a IESP Faculdade. Conforme escreveu nas redes sociais Quelfn Antônio ao esplanar o problema. "Risco de quedas e de se machucarem, sem contar co…

De volta ao Brasil colonial (4)

(Fragmento do artigo de João Sicsú   disponível no site da CartaCapital)"Mais que o governo, o Estado se torna autoritário e violento. Todas as instituições que outrora deveriam constituir uma república democrática se voltam contra os trabalhadores. A Justiça, o governo, o Congresso, as polícias e os grandes meios de comunicação estarão todos a serviço da nova Coroa e contra os trabalhadores. Os cargos de comando nessas instituições são ocupados majoritariamente por integrantes de famílias tradicionais e conservadoras da elite local. E essa elite se desdobra para favorecer a nova Coroa e seus próprios interesses (de poder e patrimoniais).A elite colonizada se revela sem qualquer discrição: rouba, forma quadrilhas, paga e recebe propina, não atende necessidades básicas da população, saqueia o orçamento público e elimina direitos sociais. O Estado democrático, prestador de serviços e garantidor do bem-estar social desaparece. O Estado volta a ser autoritário, violento e perde a fu…