Pular para o conteúdo principal

Imediado: Vereador Dedé da Prefeitura, desmente ex-prefeito de Mari e diz são "afirmações mentirosas"

De forma imediata, vereador Dedé da Prefeitura, desmente ex-prefeito Antônio Gomes, da cidade de Mari, Zona da Mata Paraibana. Logo após o ex-prefeito, taxar o atual prefeito de Mari de “enganador” e provocar, o vereador “Dedé diz o que o Marcos manda, meu debate é com o prefeito”.

Leia a resposta do parlamentar:

RESPOSTA AO SENHOR EX-PREFEITO ANTÔNIO GOMES, QUE DE FORMA DESESPERADA FAZ AFIRMAÇÕES MENTIROSAS A RESPEITO DO VEREADOR DEDÉ DA PREFEITURA

Venho aos amigos marienses, dar a minha resposta às afirmações infelizes do ex-prefeito Antônio Gomes durante entrevista na rádio Constelação FM da nossa vizinha cidade Guarabira, onde foi pressionado pela verdade de que não pagou o salário de dezembro dos servidores em seu último ano de gestão e deixou todos os servidores municipais em situação lamentável, onde muitos tiveram que recorrer a empréstimos para poderem quitar seus gastos domésticos e levar o pão para a mesa, como também, a gestão do senhor Antônio Gomes, deixou de repassar devidamente os descontos dos empréstimos consignados dos servidores, situações estas que só foram regularizadas ao início da gestão do prefeito Marcos Martins.
Desesperado com a verdade e usando de sua conhecida estratégia de ironizar quando não se tem resposta pra dar e criar dramas, o senhor Antônio Gomes perdeu a oportunidade de ficar calado ao afirmar que Dedé da prefeitura só fala o que “o prefeito manda” e que minha atuação é para “agradar ao prefeito”.
Afirmo de público aos meus amigos marienses que estou pronto para enfrentar qualquer debate com o senhor Antônio Gomes, inclusive dando-lhe uma lição de como se deve lidar com uma administração municipal com responsabilidade, sem deixar nossos servidores na situação em que deixou e sem usar da ironia e do desdém quando não se tiver resposta para dar. Senhor Antônio Gomes, não preciso de ninguém para me dizer o que devo falar, o que não é o seu caso. Quanto à sua afirmação de que só não será candidato se alguém tirar sua vida, afirmo que todos somos de paz e que esse tipo de procedimento criminoso e contra as leis de Deus não cabe na mente e no coração dos que fazem a atual gestão. Por isso, desejo-lhe vida longa e de muita saúde e esse é o mesmo desejo do prefeito Marcos Martins e dos que fazem a atual gestão municipal. O senhor foi rejeitado nas urnas e, a “morte” política, talvez seja o seu maior medo. Medo este que aumentou desde que a população mariense o rejeitou nas urnas, mostrando que queria mudança, pois se sua gestão tivesse sido o mundo maravilhoso que o senhor e seus aliados propagam, com certeza, teria sido reeleito e estaria com suas contas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado, o que infelizmente para o senhor, não foi.
Na falta do que dizer, se não tem coragem de assumir as falhas de sua gestão desastrosa, faça o que sempre diz quando quer ironizar de seus opositores, ou seja, não deixe passar a oportunidade de ficar calado.

Da Redação
Revista Páginas

As Mais Visitadas

Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção

(Ou, sobre empatia, compaixão, solidariedade). (Fabrício Carpinejar)Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa. Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus …

Ex-atriz da globo deixa vergonha de lado e fica completamente nua ao trocar biquíni em praia

Segundo fotógrafo que fez os cliques, Clariane Caxito estava posando para um catálogo de moda praia, por isso a desinibida troca de roupaClariane Caxito, atriz que participou do "Zorra Total" antes do programa ser reformulado, foi flagrada em poses bem indiscretas neste domingo, 22. Ela foi vista na praia do Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, enquanto trocava de biquíni.Isso mesmo que você leu. Sem a menor cerimônia, a morena ficou com os seios à mostra no momento de mudar o sutiã e depois também trocou a calcinha, deixando absolutamente tudo de fora!Segundo o fotógrafo que fez os cliques, Clariane estava acompanhada por uma equipe de profissionais, enquanto posava para um catálogo de moda praia, por isso a troca de biquíni. Nas imagens, no entanto, nenhum sinal de outra pessoa, a não ser a "peladona da praia".Após a troca de biquíni, a morena foi se refrescar no mar e, antes de entrar na água, deu uma empinada estratégica no bumbum. EGO

O saudoso Confiança E C de Sapé/PB

História Confiança Esporte Clube, agremiação esportiva de Sapé, no estado da Paraíba, fundada a 22 de abril de 1953. Resultado da divisão do Atlético, uma equipe amadora de Sapé. O nome do clube foi uma homenagem ao Moinho Confiança se propriedade de Genival Torres, que doou todo material esportivo, sendo inclusive um dos fundadores. Década de 90 A década de 90, foi o auge do clube. O clube se profissionalizou em 1996. Em seu primeiro ano de competição, no campeonato Paraibano, terminou em terceiro lugar. A forte equipe contava com grandes jogadores; Lúcio, Warlei, Washington Lobo, Ramiro, Betinho, Willian, Eduardo Luiz, Cícero, Reinaldo e Forly.
Em 1997, o Confiança consagrou-se campeão paraibano de futebol, sendo o primeiro - e até hoje, único - time do Brejo a conseguir a honraria. Declínio Após o título de 1997, o Confiança seria o representante paraibano na Copa do Brasil de 1998, mas abdicou da vaga, reapassando-a ao Botafogo/PB.
Com uma campanha fraca no campeonato Paraibano …